Buscar
  • Flaviane

Jovens são os mais afetados pelo desemprego no Brasil



O desemprego é um dos maiores problemas que a nossa sociedade enfrenta atualmente, tendo mais de 11,9 milhões de pessoas sem emprego fixo no Brasil. Segundo uma pesquisa divulgada pelo IBGE, no 1° trimestre de 2022, os jovens de 14 a 17 anos ficaram entre os mais afetados pelo desemprego com uma taxa de 36,4%, seguidos pela faixa etária de 18 a 24 anos com 22,8%.


Esses dados apontam que a taxa de desemprego entre os jovens é mais que o dobro da média nacional de 11,1%. A falta de escolaridade está intimamente ligada à taxa de desocupação, pois conforme divulgado na pesquisa 18,3% das pessoas desempregadas não concluíram o ensino médio.


Leia também:

Entenda o Mercado de Trabalho para Pessoas com Deficiência

Quais são as vantagens de ingressar cedo no mercado de trabalho?

A importância do bom relacionamento no ambiente de trabalho


Especialistas apontam que este número de jovens fora do mercado de trabalho pode trazer enormes prejuízos para o país, pois eles não estão desenvolvendo experiências profissionais e não exercem sua produtividade. Quando se pensa em um espectro nacional, o impacto pode ser muito grande, já que a força de trabalho se estagna e o país apresenta menos crescimento econômico.


A taxa de desemprego influencia diretamente na renda dos jovens. Segundo o IBGE, pessoas de 18 a 24 anos recebem em média R$1.452 por mês, cerca da metade da média de rendimento mensal do brasileiro, de R$2.548. Devido a falta de oportunidade no mercado, os jovens passam a buscar trabalhos informais para ajudar nas despesas da casa e sustento da família.

Jovens de 14 a 24 anos encontram dificuldades para conquistar vagas no mercado de trabalho (foto: Freepik)


De acordo com uma nota divulgada pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, para a Agência Brasil, jovens de 17 a 29 anos são os que sofrem mais com o desemprego a longo prazo (que dura mais de dois anos). O fato de não terem experiência profissional dificulta a conquista de oportunidades e recolocação no mercado.


O GAMT trabalha de duas formas para ajudar a diminuir o desemprego entre os jovens: o programa Jovens Urbanos e a prospecção de parcerias com empresas. Com o programa Jovens Urbanos, adolescentes e jovens de 16 a 21 anos podem participar de um projeto para o desenvolvimento de soft skills. Ele é focado nos comportamentos e competências procuradas pelas empresas, orientação para a formatação de currículo, participação de entrevistas e simulados direcionados a cada aluno.


“O Jovens Urbanos visa qualificar os jovens para nossas oportunidades no Programa de Aprendizagem, mas também para outras oportunidades de colocação profissional, deixando-os mais preparados e seguros para se destacarem em um processo seletivo” explica a coordenadora de RH do GAMT Juliana Ferro.


Por meio da prospecção de novas parcerias, o time comercial da instituição busca aumentar diariamente as oportunidades de emprego para os alunos, com os programas de aprendizagem e estágios. Além disso, é feito um trabalho de conscientização com as empresas da região sobre a importância e o impacto social gerado na contratação de jovens.


49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo