Buscar
  • Flaviane

Especial Mês da Mulher: Como ser uma empresa que apoia a igualdade de gêneros?


No ano de 1909, mais de 15 mil mulheres foram às ruas de Nova Iorque, nos Estados Unidos, em busca de melhores condições de trabalho. Por meio de manifestações, elas exigiam mais direitos políticos e trabalhistas.


Mais de 100 anos depois, o Dia das Mulheres é comemorado anualmente no mês de março e o direito das mulheres no mercado de trabalho ainda é constantemente tema de debates no meio político e empresarial.


A conquista de direitos como a licença-maternidade, estabilidade em caso de gravidez e a remuneração igualitária transformaram a presença feminina no mercado, mas será que eles são suficientes? Confira, no blog de hoje, como ser uma empresa que apoia a igualdade de gêneros!


Leia também:

Especial Mês da Mulher: O que estudar para entrar na área da tecnologia?

Especial Mês da Mulher: Mulheres da tecnologia para você se inspirar

Especial Mês da Mulher: Como é o mercado de trabalho para as mulheres?


  • Apoie a diversidade do recrutamento

Um corpo empresarial diverso é essencial para uma equipe unida. Por isso, é necessário reavaliar como o recrutamento de sua empresa é feito. Independente da iniciativa que você deseja utilizar, é necessário priorizar a igualdade nas contratações.


No entanto, não basta apenas contratar: sua empresa tem mulheres em cargos importantes? Se não, por que não? Existem medidas que podem quebrar as barreiras que impedem a presença de mulheres em seu ambiente de trabalho.

  • Avalie a cultura de sua empresa

Por mais que muita gente acredite que a cultura machista está no passado, ela ainda está presente em muitas situações no meio empresarial. Em muitas empresas, é comum acontecerem o manterrupting, que é quando homens interrompem falas de mulheres, e o mainsplaining, ato onde um homem tenta explicar algo para uma mulher, assumindo que ela não entende do assunto.


A cultura da sua empresa realmente está incluindo mulheres ou o machismo está realmente enraizado em seus processos empresariais? É necessário avaliar essas temáticas para poder se libertar dessa cultura.


  • Promova treinamentos

Agora que você já avaliou os pontos fracos de sua empresa, é hora de arregaçar as mangas e colocar as mãos na massa. Para conscientizar seus trabalhadores e colaboradores sobre a presença das mulheres no mercado, existem algumas alternativas simples e viáveis.


Treinamentos e cursos que promovam a igualdade de gênero e o fim da cultura do machismo no ambiente empresarial são opções inteligentes para a conscientização de sua equipe.


  • Diferença salarial entre homens e mulheres? Nem pensar!

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que o salário médio de um homem brasileiro era de R$ 2.306,00, enquanto o de uma mulher era de R$ 1.764,00. A diferença de quase quinhentos reais mostra que ainda existe diferença no salário entre gêneros no Brasil. Nada de viver no passado: os salários para um mesmo cargo devem ser iguais!


  • O equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal deve ser defendido

Uma das maiores queixas das mulheres no mercado de trabalho é a jornada tripla de trabalho: o trabalho em si, o cuidado com as tarefas domésticas e os filhos. Tantas responsabilidades levam as mulheres à sobrecarga de afazeres.


Na hora de pensar em benefícios para seus funcionários, leve a questão feminina em consideração. Auxílios para creche, a opção de jornadas híbridas ou remotas e uma possível flexibilidade de horários são opções para quem deseja promover o equilíbrio da jornada de trabalho feminina.


E o GAMT?

Se você é mulher e deseja participar do mercado de trabalho, o GAMT pode te ajudar nesse processo! Com nosso programa de aprendizagem, você pode participar de nosso ciclo de desenvolvimento de competências para as vagas de empresas parceiras. Para se inscrever, basta entrar no link https://www.gamt.org.br/aprendiz e preencher com seus dados! #VemProGAMT


850 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo